acores-o-que-visitar
Viagens

Visita às plantações do chá da Gorreana

Começamos o guia sobre a ilha de S. Miguel nos Açores com uma das visitas que mais gostei de fazer, a visita às plantações do chá da Gorreana. A única plantação de chá na Europa.

A fábrica de chá da Gorreana foi fundada em 1874, por Dona Ermelinda Gago da Câmara e seu filho José Honorato. Iniciou a sua produção em 1883, sendo desde então um negócio de família.
O chá é 100 % orgânico e é colhido entre abril e setembro. Este não leva qualquer tipo de produtos químicos, pois as pragas da planta do chá não sobrevivem ao clima da ilha. Todo o chá deriva da planta “Camellia Sinensis” que é uma pequena árvore da família das teáceas.

A colheita das folhas acontece quando a maioria dos ramos têm três folhas. Para além de cada uma das folhas ter uma idade diferente, estas também têm composições químicas diferentes. Cada tipo de folha dará ao chá um sabor e aroma diferentes. Os diferentes processos de produção determinarão por seu turno os dois tipos de chá produzidos na Gorreana: preto e verde.

Para produzir chá preto, as folhas são deixadas a murchar e enroladas causando o esmagamento parcial da folha. Mais tarde são expostas ao ar, para dar continuidade ao processo lento e natural de oxidação, fermentação e secagem. Para produzir o chá verde, as folhas são esterilizadas com vapor sendo depois enroladas e secas através do método Hysson, por forma a produzir um chá encorpado rico em taninos e de cor esverdeada. (fonte: site oficial da Gorreana)

Em baixo deixo-vos esta fotografia que tirei na fábrica e que mostra a diferença no processo dos 2 chás, sendo que o chá verde tem um processo muito mais demorado.

A nossa visita começou pela fábrica situada no edifício principal. Logo à entrada têm um mapa que vos mostra as várias salas pelas quais irão passar. Andámos pelas várias salas, sempre acompanhados pelo barulho das máquinas em funcionamento e pelo cheiro intenso a chá.

Passando pela penúltima sala, a sala de embalamento, tivemos a oportunidade de ver as senhoras a fazerem o controlo de qualidade, antes de embalarem as saquetas que encontramos à venda na loja da fábrica e em alguns pontos de venda espalhados pelo mundo fora.

No fim da visita façam a degustação do chá (totalmente gratuito) e para acompanhar peçam por favor os biscoitos de chá verde com chocolate branco ou os de chá preto com chocolate preto…são divinais.

À saída da fábrica podem ver os quilómetros de extensão da plantação de chá e, se o tempo convidar e se tiverem calçado confortável e apropriado, podem fazer o percurso pedestre.

Sabiam que?
O imperador chinês Shen-Nung tinha o hábito de beber água fervida, pois acreditava que esta trazia benefícios para a saúde. No ano de 2737 A.C. enquanto fazia uma viagem, umas folhas acidentalmente caíram na água a ferver, dando a esta um sabor aromático e agradável.
Deste modo Shen Nung difundiu entre o seu povo aquela bebida, tornando-a popular em toda a China
No século XVI Portugal foi pioneiro ao “descobrir” o chá, aquando das expedições ao extremo oriente.
Em 1662 D. Catarina de Bragança, ao casar com D. Carlos II, leva no seu dote um serviço de chá chinês para a Inglaterra, introduzindo assim o hábito do chá das cinco ao país hoje em dia mais famoso pelo mesmo.
Hoje em dia o chá é apreciado em todo o mundo e o seu consumo diário excede 2,5 biliões de chávenas por dia.

Horário
2ª a 6ª das 08:00 às 18:00
Sábados e Domingos das 09:00 às 18:00
Entrada gratuita

Não se esqueçam de guardar este pin no vosso Pinterest. Quem sabe não vos inspirará quando estiverem a escolher o vosso destino de férias 😉 Ou se quiserem ir um pouco mais longe deixo-vos esta sugestão de viagem.

Com amor,

Claudia

1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *